Passado

HISTÓRIA DO DMAE

Os mananciais que brotam da Serra de São Domingos serviram como primeira fonte de abastecimento de Poços de Caldas. Em 1908, foi instituída a Companhia de Serviços Termais, Autarquia com finalidade de administrar os serviços de saneamento básico do município. Os primeiros reservatórios foram edificados e a primeira malha de rede de água, construída e canalizada. Em 1927 foi criada a Superintendência dos Serviços Termais de Poços de Caldas, que incluiu no projeto a ampliação dos serviços termais e de saneamento básico, realizado pelo engenheiro Francisco Saturnino de Brito. Entre as primeiras obras executadas incluem-se adutoras, filtros, o primeiro reservatório (Rua Pará no centro de Poços) e a instalação dos primeiros 800 hidrômetros na cidade. Em 1943, foi construída a primeira Estação de Tratamento de Água (São Benedito) com água captada da represa Saturnino de Brito (homenagem ao engenheiro que a idealizou) sendo que, posteriormente, utilizando também os mananciais Marçal Santos e Cachoeirinha/Ribeirão da Serra. Em 15 de setembro de 1965, a Repartição de Água e Esgoto foi transformada no Departamento Municipal de Água e Esgoto – DMAE.

Presente

O DMAE hoje

Hoje (2020), o DMAE conta com cerca de 400 funcionários entre servidores e estagiários. Possui três Estações de Tratamento de Água-(ETA): ETA 1 (São Benedito), ETA 3 (São José) e a ETA 5 (Rodovia do Contorno) e três Estações de Tratamento de Esgoto (ETE): ETE 1 (Córrego D´Antas), ETE 2 ( Rodovia do Contorno), ETE 3 (Bortolan).  Além disto, a autarquia também contribui, analisando a qualidade da água de 22 Fontanários existentes no município. A empresa Águas Minerais de Poços de Caldas, pertencente ao DMAE, produz mensalmente cerca de 10.000 galões de 20 litros, 8.000 de 10 litros, 1.000 caixas de copos de 20 Ml, 66.000 garrafas de 510 Ml e 9.000 garrafas de 1,5 L.

Futuro

Nossos planos

O DMAE investe cada vez mais em novas tecnologias em todas as suas operações, cuidando também da manutenção de seus equipamentos e redes de distribuição. Além disso, busca alcançar cada vez mais, melhores índices no Controle de Perdas, investindo ainda na preservação dos mananciais , com diversas ações voltadas ao desenvolvimento sustentável, como: armazenamento correto de águas das chuvas, controle de poluição, racionalização do uso da água e educação ambiental.